Uma vida doada a Deus

Uma vida doada a Deus

Testemunho de Madre Maria Pierina Guido

20170201_082543[1]Tinha apenas 7 anos de idade quando conheci nossas primeiras Irrmãs que vieram em Cosenza: Irmã Dorotéia e Irmã Maria Cristina, que abrigavam na pequena casa as crianças que se preparavam para receber o Sacramento da Eucaristia. Eu comecei imediatamente a frequentar a casa das Irmãs porque tinha que fazer a Primeira Comunhão. Na verdade eu logo fui preparada e acompanhada juntamente com muitas crianças para ir até o Altar receber Jesus, a quem eu desejava tanto. Tinha me tocado muito a dedicação, bondade e ternura das Irmãs. A Ssma. Eucaristia foi celebrada na Igreja do Santo Crucifixo da Reforma. Tendo recebido Jesus, senti uma forte emoção e com o coração inundado pelo amor de Jesus ouvi sussurrar em minha alma, com infinita doçura: “você deve ser toda minha», onde e como aquelas irmãs que me tinham preparado para a primeira Eucaristia. Fiquei tão feliz que contei aos meus pais que queria ser freira, sorriram emocionados, abraçaram-me dizendo: “você é pequena ainda, precisa crescer, ser boa e rezar”.

Ao longo dos anos, fui sentindo cada vez mais forte a vocação. Eu ia todos os dias na casa das irmãs e com elas eu me sentia feliz. Elas nos preparavam com algumas atividades e cantos para a chegada da Madre Fundadora; vinham comigo minhas irmãs e meu irmãozinho Franco. Naquela época eu tinha 10 anos. Revelei meu segredo para a Irmã Dorotéia dizendo-lhe que queria ser freira e ela me disse para aproveitar a oportunidade e falar com a Madre, mas eu disse-lhe que tinha vergonha e ela me deu um monólogo: “meu segredo à lua», para aprender e recitar, e assim o fiz.

A Madre ouviu atentamente e abraçando-me disse-me: «você é muito pequena, precisa ainda cres20170201_082451[1]cer, amar Jesus e rezar, quando você tiver a idade de 15 anos eu te recebo com prazer em Roma». Fiquei muito feliz e muito emocionada, o jeito tão bom e materno da Madre me tinha conquistado.

Depois de ter atingido a idade de 15 anos, acompanhada por Irmã Dorotéia, viajei para Roma (foi dia 8 de maio). Às 12h00 veio o padre para a oração da súplica à Nossa Senhora e eu me aproximei ao altar para receber Jesus.

Estou na Congregação ainda com 91 anos de idade. Minha vida não tem sido fácil. Com a idade de 25 anos, ocorreu a oportunidade de abrir uma missão; no meu entusiasmo juvenil, senti como se fosse uma segunda vocação: ir para uma terra estrangeira e tornar conhecido Jesus e o seu Evangelho. Eu me ofereci voluntariamente porque senti no meu coração como se o próprio Jesus me fizesse o convite: “você se desapegou dos teus entes queridos, desapega-te também agora do seu país para ser completamente minha”.

No ano de 1951, em novembro, em um navio velho (Campainha), com três outras Irmãs: Irmã Felice, Irmã Maria Stella e Irmã Guiglielmina, de Gênova, fomos para o Brasil. Não dá para narrar as dificuldades, as renúncias, sacrifícios, não encontrando nem mesmo uma casa para morar e nem mesmo meios de sobrevivência, mas enquanto as outras choravam, eu estava tão feliz. Tudo estava bem para mim. É natural que eu também sofri! Em certo momento a missão estava prestes a entrar em colapso porque as irmãs, devido a muitas privações, pegaram a tuberculose, e eu ofereci a Deus a minha vida para salvar a missão com todo o ardor do meu coração. Jesus me ouviu e eu tive um câncer de pulmão. Feita a cirurgia em São Paulo me tinham dado apenas dois meses de vida, mas depois com as orações insistentes e adorações noturnas das Irmãs e noviças (que me amavam muito) fui curada miraculosamente dos dois pulmões que já estavam em metástase.

20170201_082425[1]Então depois continuei trabalhando, pela graça de Deus, eu ocupei (apesar da minha pobreza) muitos encargos: Superiora geral 18 anos; Superiora local, vários anos; mestra de noviças; Vigária-geral e conselheira. Posso testemunhar que Ele, meu Mestre, esteve sempre ao meu lado, agindo em mim.

Pensando em tudo isso me sinto cada vez menor e indigna por tanto amor! Do meu coração brotam comoventes agradecimentos ao Doador de todo bem, pedindo perdão pela minha pouca correspondência.

No entanto, me sinto cada vez mais feliz de pertencer ao meu amado Instituto do Sagrado Coração do Verbo Encarnado e se eu nascesse mil vezes, mil vezes repetiria minha total doação a Ele, meu Grande e Único Bem.

Irmã Maria Pierina Guido

Testemunhos

Testemunhos

No Batismo dignou-me elevar: filha, esposa e discípula- missionária.  

“O tríplice chamado”

Ir. Juliana Nacimento Garciajuliana

Bastou esperar o tempo de Deus em minha vida para compreender o porquê de sua demora. Sou Ir. Juliana Nascimento Garcia, filha de Júlio Cardoso Garcia e Ana Maria do Nascimento Garcia. Sou a terceira filha do casal, minha irmã primogênita já se encontra na glória do Pai, se chamava Raquel, meu irmão Juliésio o filho mais velho e eu a filha caçula. Sou natural do estado de Rondônia nascida em uma pequena e longínqua cidade chamada Machadinho D’Oeste, lugar distante aos olhos humanos, porém, próximo aos olhos de Deus, que me olhou e chamou.

Um dia memorável… Dia de festa, de encontro, de alegria, marcado por uma grande inquietação no mais profundo do meu ser com apenas 16 anos de idade…

Era o dia 04 de fevereiro de 2003, em uma manhã diferente de outras manhãs, na capela São João Batista eu era batizada. Consciente da tamanha graça que o Senhor realizava em minha vida, sentia no mais profundo que deveria entregar a minha vida a Cristo por meio da consagração religiosa.

Nesse mesmo dia o amado Senhor não me presenteou somente  com a graça do Sacramento do Batismo, mas também com a graça do Sacramento da Eucaristia, e a confirmação do  “Dom da vocação” respondida aquele momento com um chamado específico “anunciar a Cristo” e fazê-lo conhecido e amado por todos os homens. Naquele mesmo dia uma profunda  inquietação tomou conta de todo o meu ser, por que não ser uma consagrada?  E ali mesmo se fazia presente o apelo e a resposta, pois as Irmãs do Sagrado Coração do Verbo Encarnado, tinham, recém chegado naquela cidade e estavam presentes naquela Celebração Eucarística, em que eu era batizada.

Diante de tantas graças que o Senhor me envolveu naquela manhã, um grande desejo foi alimentando minha alma o desejo de não pertencer mais a mim mesma, mas Àquele que me dignou tornar-me filha e que me chamava também a ser esposa, ou seja, “Consagrada”, para anunciar o seu reino (Discípula-missionária). Naquela manhã enquanto eu recebia a Eucarística, entregava ao Senhor toda a minha vida, em oração dizia: “Serei consagrada tua Senhor”. Essa era a única certeza que tinha naquele momento ser “Consagrada”. Não me restava dúvidas diante de tamanho desejo, nem mesmo em relação à missão era muito claro à minha mente e em meu ser, o desejo de anunciar Jesus Cristo, principalmente àqueles que não o conhecem como eu também não o conhecia.

juliana2Depois de alguns meses de acompanhamento vocacional, e decidida diante do que sentia no mais profundo do meu interior entrei na Congregação das Irmãs do Sagrado Coração do Verbo Encarnado no dia 10/07/2003 na cidade de Machadinho, D’Oeste-RO, minha entrada foi marcada de grande emoção e alegria, diante de tão grande e precioso mistério que não era compreendido pela razão humana, e sim somente pela experiência de Fé.

No dia 01/02/2004 iniciei o Aspirantado na comunidade de Machadinho – RO, com o desejo de amar e doar-me a Cristo por meio da vida de oração.

No dia 04/04/2005 fui admitida ao Postulantado na comunidade de Cacaulândia-Ro, e no ano seguinte fui para Curitiba para continuar a formação, foi um tempo de graça, de autoconhecimento e de profundas experiências do amor e da misericórdia de Deus, que me amou e me chamou.

Sentindo cada vez mais em meu ser, o desejo de me consagrar a Deus iniciei o noviciado no dia 11/02/2007, foi um tempo precioso de constantes descobertas e experiências, que me enriqueceram profundamente no meu caminho humano e espiritual. Agradeço a Trindade por me fazer experimentar sua profunda misericórdia nesse tempo de graça.

E assim o Senhor foi me preparando para a verdadeira entrega a Ele por meio da consagração e no dia 01/03/2009 fiz diante de Deus e da comunidade presente os meus primeiros votos. O sentimento que brotava dentro de mim era de grande alegria que não cabia dentro era algo como que se transbordasse, era de fato como se estivesse experimentando as doçuras do tamanho DOM recebido a “Consagração”.

Ir.Juliana Nascimento Garcia- S.C.V.E

50 anos de consagração a Deus!

50 anos de consagração a Deus!

La nostra20150716_094608 carissima consorella, Suor Giacinta Caligiuri, ha celebrato il 16 luglio 2015, il suo 50° di consacrazione a Dio nella nostra Congregazione delle Suore del Sacro Cuore del Verbo Incarnato.

Per tale occasione lei ha voluto trascorrere un mese nella comunità delle Suore a Betlemme. Arrivata in Terra Santa, ha potuto fare una bella esperienza, visitando i luoghi santi e vivendo forti momenti di silenzio e di preghiera.

Si è voluta preparare alla rinnovazione della sua consacrazione con una giornata di ritiro, vissuta intensamente. Condividiamo con voi le stesse parole che lei ha espresso a Papa Francesco, nel mese di Giugno, partecipando all’udienza pubblica in Piazza San Pietro: “Sono felice di essere suora, se dovessi scegliere di nuovo, ripeterei la stessa storia!.

Giovedì 16, di mattina, si è celebrata la Messa Cantata nella Grotta della Natività di nostro Signore Gesù Cristo. In quella Grotta santa hanno concelebrato i Frati Minori Francescani, e ha presieduto la celebrazione Fra Aquilino, il quale all’inizio della Messa ha voluto presentare Suor Giacinta alla comunità presente, mettendo in risalto la gioia della consacrazione a Dio nei lunghi 50 anni.

Dopo l’omelia, Suor Giacinta, guardando la stella, dove la tradizione colloca la nascita di Gesù Bambino, ha rinnovato solennemente i suoi voti di castità, povertà e obbedienza, seguendo le orme del Verbo Incarnato e della Venerabile Madre Carmela, nostra Fondatrice.

La sua testimonianza di gioia, semplicità e fede è stata accolta da tutti coloro che l’hanno accompagnata con molta emozione, ringraziando Dio per l’opera  che ha compiuto in lei.

Ir. Carmelita Fernandez de Oliveira

Ir. Carmelita Fernandez de Oliveira

Ir. Carmelita Fernandez de Oliveira

CELEBRAR  O JUBILEU DE 25 ANOS DE CONSAGRAÇÃO A DEUS

NA TERRA SANTA

 Dou-te  graças Senhor pelo dom da vida, pela vocação e consagração a ti nesta Congregação do Sagrado Coração do Verbo Encarnado.  Para mim estar aqui na carmelitaDesertoTerra Santa, além do que eu a tanto tempo desejava vir, creio que este foi o momento “kairós” de Deus para mim.

Iniciei a minha peregrinação no Santo Sepulcro com a Missa de Resurreção e terminei  na gruta de Belém com a missa cantada de Natal.

Todos os meus dias aqui foram vividos com intensidade e gratidão, tudo me fala do Deus amor, até mesmo o Deserto de Judá. O meu coração exulta de alegria, sinto renovada a minha alma, meu espírito e toda a minha vida, com um grande desejo de recomeçar mais uma nova caminha de conversão diária.

Após dois dias de retiros no Getsêmani, onde tive a grande graça de fazer a síntese de minha vida Consagrada. Agradeço a Deus por tudo e em especial a Província do Brasil que me proporcionou estes dias de graças, a Superiora Geral, Madre Vittoria Valentino, como também todas as irmãs daqui de Belém: Ir. Clementina, Ir. Ruth e Ir. Martha que me ajudaram nesta peregrinação.  Deus abençoe a todas por todo bem. Carinhosamente:

Ir. Carmelita F. Oliveira

Belém, 07 de maio de 2015.

Ir.  Juliana Nascimento Garcia

Ir. Juliana Nascimento Garcia

No Batismo dignou-me elevar: filha, esposa e discípula- missionária.  

“O tríplice chamado”

Ir. Juliana Nacimento Garciajuliana

Bastou esperar o tempo de Deus em minha vida para compreender o porquê de sua demora. Sou Ir. Juliana Nascimento Garcia, filha de Júlio Cardoso Garcia e Ana Maria do Nascimento Garcia. Sou a terceira filha do casal, minha irmã primogênita já se encontra na glória do Pai, se chamava Raquel, meu irmão Juliésio o filho mais velho e eu a filha caçula. Sou natural do estado de Rondônia nascida em uma pequena e longínqua cidade chamada Machadinho D’Oeste, lugar distante aos olhos humanos, porém, próximo aos olhos de Deus, que me olhou e chamou.

Um dia memorável… Dia de festa, de encontro, de alegria, marcado por uma grande inquietação no mais profundo do meu ser com apenas 16 anos de idade…

Era o dia 04 de fevereiro de 2003, em uma manhã diferente de outras manhãs, na capela São João Batista eu era batizada. Consciente da tamanha graça que o Senhor realizava em minha vida, sentia no mais profundo que deveria entregar a minha vida a Cristo por meio da consagração religiosa.

Nesse mesmo dia o amado Senhor não me presenteou somente  com a graça do Sacramento do Batismo, mas também com a graça do Sacramento da Eucaristia, e a confirmação do  “Dom da vocação” respondida aquele momento com um chamado específico “anunciar a Cristo” e fazê-lo conhecido e amado por todos os homens. Naquele mesmo dia uma profunda  inquietação tomou conta de todo o meu ser, por que não ser uma consagrada?  E ali mesmo se fazia presente o apelo e a resposta, pois as Irmãs do Sagrado Coração do Verbo Encarnado, tinham, recém chegado naquela cidade e estavam presentes naquela Celebração Eucarística, em que eu era batizada.

Diante de tantas graças que o Senhor me envolveu naquela manhã, um grande desejo foi alimentando minha alma o desejo de não pertencer mais a mim mesma, mas Àquele que me dignou tornar-me filha e que me chamava também a ser esposa, ou seja, “Consagrada”, para anunciar o seu reino (Discípula-missionária). Naquela manhã enquanto eu recebia a Eucarística, entregava ao Senhor toda a minha vida, em oração dizia: “Serei consagrada tua Senhor”. Essa era a única certeza que tinha naquele momento ser “Consagrada”. Não me restava dúvidas diante de tamanho desejo, nem mesmo em relação à missão era muito claro à minha mente e em meu ser, o desejo de anunciar Jesus Cristo, principalmente àqueles que não o conhecem como eu também não o conhecia.

juliana2Depois de alguns meses de acompanhamento vocacional, e decidida diante do que sentia no mais profundo do meu interior entrei na Congregação das Irmãs do Sagrado Coração do Verbo Encarnado no dia 10/07/2003 na cidade de Machadinho, D’Oeste-RO, minha entrada foi marcada de grande emoção e alegria, diante de tão grande e precioso mistério que não era compreendido pela razão humana, e sim somente pela experiência de Fé.

No dia 01/02/2004 iniciei o Aspirantado na comunidade de Machadinho – RO, com o desejo de amar e doar-me a Cristo por meio da vida de oração.

No dia 04/04/2005 fui admitida ao Postulantado na comunidade de Cacaulândia-Ro, e no ano seguinte fui para Curitiba para continuar a formação, foi um tempo de graça, de autoconhecimento e de profundas experiências do amor e da misericórdia de Deus, que me amou e me chamou.

Sentindo cada vez mais em meu ser, o desejo de me consagrar a Deus iniciei o noviciado no dia 11/02/2007, foi um tempo precioso de constantes descobertas e experiências, que me enriqueceram profundamente no meu caminho humano e espiritual. Agradeço a Trindade por me fazer experimentar sua profunda misericórdia nesse tempo de graça.

E assim o Senhor foi me preparando para a verdadeira entrega a Ele por meio da consagração e no dia 01/03/2009 fiz diante de Deus e da comunidade presente os meus primeiros votos. O sentimento que brotava dentro de mim era de grande alegria que não cabia dentro era algo como que se transbordasse, era de fato como se estivesse experimentando as doçuras do tamanho DOM recebido a “Consagração”.

Ir.Juliana Nascimento Garcia- S.C.V.E

Camila Farias Parlot

Camila Farias Parlot

Renata, Mariana e CamilaSou CAMILA FARIAS PARLOT, nasci dia 6 de janeiro de 1993 sou filha de Adeilton Parlot e Maria Aparecida Farias Parlot, sou a terceira filha, e antes de mim vem Willian e Welida. Senti o chamado de Deus ainda adolescente, gostava de sair com a família e com os amigos, ir aos bailes e praticar esportes. Participava da comunidade São Miguel Arcanjo em Machadinho D Oeste/Rondônia, ajudava na comunidade sendo catequista, fazendo visita aos enfermos, com o grupo de jovens e liturgia.

Com o exemplo de vida e apostolado de nossas irmãs, o desejo de servir ao Senhor foi aumentando a cada dia e no dia 7 de fevereiro de 2010 entrei para a Congregação, em Porto Velho RO na casa de formação. Senti-me muito acolhida pelas irmãs e por todos que ali vivem, fiz belas experiências de Deus ajudando aos mais necessitados.

Nossa missão e espiritualidade é muito rica, contemplar o coração de Jesus Verbo Encarnado. No dia 2 de fevereiro de 2014 entrei para o Noviciado e uma frase de nossa querida Fundadora Madre Carmela que tem caminhado comigo durante esse período de formação é:

 “Prepare seu coração para ser o jardim do amor’’.

Ir. Laura Cecilia Alaniz

Ir. Laura Cecilia Alaniz

Escondida no Coração do Verbo
Una parola, una voce, uno sguardo, sono bastati per fare crollare la moltitudine di sicurezze umane che pensavo bastassero per essere felice. Ma quella Voce, quella Parola, quel Seguimi” penetravano pian-piano nel mio intimo e mi riempivano di tante inquietudini. Inoltre quei desideri d’infinito che dormivano nel mio cuore, nell’attesa d’uscire, si svegliavano per dare senso a tutti i miei sogni e progetti. Il sentirmi amata, pensata, sognata, scelta da tutta l’eternità per un Amore che sorpassa i limiti di quanto io possa pensare, fare o immaginare mi colmava di gioia. Solo lì scopro il filo rosso che coinvolge tutta la mia vita e mi permette d’individuare in ogni momento e situazione che mi trovo dentro un progetto d’amore. È lì scopro che la mia vita è significativa; è lì che Lui mi si rivela facendomi prendere in mano la verità di me stessa: chi sono, cosa voglio? In questo contesto ho iniziato un cammino di discernimento, di libertà e costante ricerca della volontà di Dio.

laura

Ma come raccontare la squisita pace che ha riempito il mio cuore al momento della consacrazione religiosa? Come spiegare la gioia immensa di sentirmi amata? Come ringraziare il Signore che mi ha dato tanto facendomi sua sposa, di volermi accanto a Sé; di essere parte di un carisma a cui sono chiamata ad incarnare nella mia propria storia?

laura2

E oggi convinta che non erano e non sono le mie forze, ma la SUA FEDELTÀ che mi ha condotto fino a pronunciare il “SÌ”, a scegliere Colui che riempie il tutto del mio essere qui e adesso; un SÌ a vivere come Lui ha vissuto; un SÌ che mi conduce al segreto della felicità autentica, che é quella di donare la vita perdendola; di scegliere la Via dell’Amore che dimentica di sé per fare spazio all’altro. Un SÌ che si rinnova ogni mattino perché non so quanto sarò capace, non so quanto sarò libera, ma la strada la so: “Prendere la Croce e andare dietro a Lui”.

Suor Laura Cecilia Alaniz (Argentina)